- PUBLICIDADE -

Distritais cobram explicações sobre gastos do Fundo Constitucional do DF

Distritais cobram esclarecimentos sobre o FCO

A sessão ordinária desta quinta-feira (13) foi marcada por  discursos de deputados favoráveis à aprovação da convocação do gestor do Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCO). Parlamentares querem saber se os recursos, que este ano chegam a cerca de R$ 10 bilhões, poderiam ser utilizados para atender as reivindicações dos policiais civis em greve.A categoria  lotou as galerias do plenário,na tarde de hoje. Os policais acusam o GDF de ter descumprido acordo que previa um reajuste de 13%.

De acordo com o presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF), Agaciel Maia (PTC), não há nenhuma dificuldade para o governo detalhar os gastos do FCO. Agaciel propôs ainda a realização de uma audiência da CEOF para tratar do assunto. “O governo deve mostrar o que está sendo feito e nós deputados devemos nos unir para trabalhar em prol do atendimento das demandas da categoria”, ressaltou o distrital.
O líder do governo, Wasny de Roure (PT), concordou com proposta de a CEOF realizar, por conta própria, o debate sobre o fundo constitucional . Ele  relatou que pediu auxilio ao deputado federal Paulo Tadeu (PT) para levar ao Ministério do Planejamento as reivindicações dos policiais civis. “Com relação à greve, temos que batalhar no sentido de resgatar interlocutores, ainda mais em uma matéria que envolve o governo federal”, afirmou Wasny.
Dr. Michel (PEN) sugeriu que os policiais civis entrem em contato com representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros para aumentar a pressão para que os deputados aprovem a convocação do gestor do FCO. “As adesões à nossa luta pela aprovação do requerimento estão aumentando. É só uma questão de tempo até conseguirmos quórum para votá-lo”.
Reajuste – Em seu pronunciamento, o deputado Wellington Luis (PPL) observou que o GDF já deixou de pagar os dois reajustes de 6,5% previstos para os meses de dezembro de 2011 e março de 2012. O distrital também comentou a queda nos investimentos em segurança pública em termos proporcionais. “Em 2010, tínhamos 53% do FCO. Em 2013, teremos 49%. Há uma manobra na Casa para evitar que o gestor do Fundo Constitucional venha aqui explicar esses números”, acusou Wellington.
Liliane Roriz (PSD) relembrou a relação de sua família com a Polícia Civil e disse que  seu partido está unido no apoio à categoria. “Dizem que vocês ganham muito, mas não é verdade. Pelo trabalho importante que fazem deveriam ganhar 3 vezes mais”.
Fonte: http://docafezinho.com.br/?p=17547

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -