- PUBLICIDADE -

PC-CE explica sobre os tipos de crimes contra o idoso e o trabalho da delegacia especializada

O dia 15 de junho é lembrado como o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, data reconhecida, em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU). Diante de uma data tão significativa e que visa combater à violência contra a pessoa idosa, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), por meio da Delegacia de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência (DPIPD), explica como identificar os tipos de crime a esse público vulnerável.

Com uma população cada vez mais idosa, a Polícia Civil do Ceará trabalha de forma ininterrupta para garantir os direitos a essa população que precisa ser assistida de forma mais humanizada. Para a delegada titular da DPIPD, Rena Gomes, essa data é bastante significativa e nos faz despertar sobre a conscientização dos impactos gerados quando os direitos da pessoa idosa são violados.

“A Delegacia do Idoso e da Pessoa com Deficiência, criada há cerca de quatro anos, tem o foco de receber ocorrências em crimes por razão da idade ou por uma determinada deficiência. Nosso atendimento é mais humanizado, até porque são pessoas com condições de um modo geral, mas com dificuldade de se locomover, se comunicar, ou até, em alguns casos, nem percebem que estão na condição de vítima. A triagem precisa de um olhar mais apurado, para assim, identificar qual situação aquela pessoa deve estar passando, dentro ou fora de casa”, comentou Rena Gomes.

O crime que tem como vítima a pessoa idosa pode acontecer em qualquer situação, e em alguns casos, como cita a delegada, em uma relação de confiança até entre a vítima e o violador dos direitos condicionados à vítima. Alguns crimes acontecem no seio familiar, por pessoa próxima ou cuidador. “Por isso cito a necessidade de apurarmos com rigor, com um olhar mais macro e cuidadoso. As agressões ou os crimes acontecem de forma mais sutil, muitas vezes difícil de identificar. Temos que ficar atentos às mudanças de comportamento, acreditar no que ele possa vir a comunicar, isso ajuda de forma rápida e até prevenir que aquela situação se agrave”, finalizou.

Conheça alguns tipos de violência mais recorrentes contra a pessoa idosa:

Violência física

É aquela que aflige a saúde corporal ou que lhe causa sofrimento físico. Neste tipo de situação, acredita-se ser o tipo de crime mais visível, pois pode deixar marcas pelo corpo da pessoa idosa. Empurrões, murros, socos, puxões de cabelo, acocho, além de queimaduras ocasionados de forma proposital e outros são considerados violência física.

Violência Patrimonial

Neste caso, a pessoa que cuida da vítima idosa, em certas situações, acaba se apropriando da casa, dinheiro, bens materiais e pessoais daquela pessoa, alegando que ela não tem mais condições de gerenciar sua vida. Vale ressaltar que, quando a pessoa tem condições psicológicas e entendimento intelectual sobre sua situação atual, ela pode e deve ser informada sobre o que é feito com o que lhe pertence. Exemplos deste tipo de violência: controlar o dinheiro, deixar de pagar pensão alimentícia, restrição de documentos pessoais, furto ou dano.

Violência Psicológica

É o tipo de ação que gera danos emocionais àquela pessoa. Às vezes o idoso é humilhado, xingado, ameaçado, constrangido em público ou de forma privada. Tudo isso gera um descontrole emocional, que pode ocasionar sofrimento, ansiedade e em casos mais graves depressão.

Violência medicamentosa

É quando um parente, familiar, profissional ou cuidador prescreve ou administra de forma indevida os medicamentos da pessoa idosa. Neste caso, os medicamentos podem ser suspensos totalmente, ou diminuir ou aumentar os remédios. Isso pode comprometer a saúde dessa pessoa e em casos mais graves leva a pessoa à morte.

Violência Sexual

É quando a pessoa idosa é incluída em ato sexual por meio de aliciamento, violência física ou ameaças.

Conhece alguém que sofre este tipo de violência? Saiba como denunciar:

Disque 100

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100, que funciona diariamente, 24 horas por dia. As ligações são gratuitas e podem ser feitas de todo o Brasil, de qualquer telefone (fixo ou celular) bastando discar 100.

Delegacia de Proteção ao Idoso e a Pessoa com Deficiência

A população também pode denunciar diretamente à especializada pelo telefone (85) 3101-2496 ou pelo e-mail [email protected] O sigilo e o anonimato são garantidos. A delegacia tem como principal objetivo investigar os crimes estatutários previstos no Estatuto da Pessoa com Deficiência, lei 13.146/15. A DPIPD funciona no Complexo das Delegacias Especializadas (Code) da PCCE, localizado na Rua Professor Guilhon, nº 606, bairro Aeroporto. O atendimento ao público é das 8h às 17h.

190

O 190 pertence à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará. O número pode ser usado para solicitar atendimento quando existe uma agressão em andamento e é necessário o comparecimento de uma viatura policial naquele momento.

181

O número é o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Ao ligar para o 181, a denúncia é registrada e será investigada. Caso seja comprovada, imediatamente a Polícia será acionada. Assim como o Disque 100, a ligação para o 181 é gratuita e pode ser feita de qualquer município do Estado do Ceará a qualquer hora, pois o atendimento funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados.

Fonte: PCCE
Redação
Redaçãohttps://policiamentointeligente.com
Portal Especializado em Segurança Pública e Política.
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -