- PUBLICIDADE -

A vida não para…

Hoje é um misto de emoções. Uma felicidade enorme por ver meu time campeão da libertadores e uma profunda tristeza por não ter meu filho (Gabriel) aqui comemorando comigo. Faltou ele vindo com sua “segunda pele”, pois vivia com sua camisa do Corinthians, e aquele lindo sorriso me abraçando e dizendo: “ganhamos pai.” Ontem, há exatos sete meses o Corinthians era campeão brasileiro e minha família chorava aflita, nem um grito de comemoração, prevendo o que poderia ocorrer no dia seguinte. Cresci muito durante esses sete meses. Tive que aprender a lutar contra uma vontade de parar que insistia em me dominar, uma força que insistia em me fazer desistir. Ninguém tem ideia do que é isso. Nunca imaginei ter forças para passar por tudo isso. Tive que aprender e ainda estou aprendendo a vencer a dor, a saudade e o medo de não sentir mais dor por sua partida. Percebi que nosso amor não está ligado pela dor, mas sim  por nossas almas. Descobri que é possível vencer a morte, quando a pessoa passa a viver em nossos corações. Obrigado meu Deus por me dar forças todos os dias. Obrigado Gabriel Brilhante por todo amor dispensado a mim e por todo respeito que sempre me dispensou. Obrigado aos amigos que sentem minha dor e me fortalecem a cada dia. As palavras de Gabriel, em nossas últimas conversas, ainda estão vivas em minha mente. Uma delas é: “Te amo pai!” e as outras são: “Pai, você sempre consegue tudo que você deseja, tudo que você sonha!”. Você está vivo em meu coração. Sete meses de saudade. Te amo cara!

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -