- PUBLICIDADE -

O líder que faz a diferença!

Primeiro gostaria de desculpar-me com alguns leitores que reclamaram dos últimos temas. Tenho passado por um processo de mudança interior e isso exige tempo, por isso tenho deixado de lado os estudos e o blog. Os textos antes aqui escritos eram resultado de pesquisa, até mesmo porque estava na especialização e tudo fluia naturalmente. Nos próximos meses espero ter atingido parte de meus objetivos, isso ocorrendo voltarei a postar os “textos acadêmicos” de outrora, no momento esse espaço se tornou apenas um “querido diário”…
Voltando a falar sobre algo sério, hoje gostaria de tentar responder uma pergunta que fiz há algum tempo…
COMO MOTIVAR OS POLICIAIS MILITARES?
Postei um texto que refletia bem o que é ser policial, de forma poética o autor tocou fundo em nosso ser…Com ele procurei sensibilizar e motivar os colegas…
Motivação é algo essencial em qualquer profissão. Gosto de analisar cada questão levantada nesse espaço de forma macro e micro, assim como ocorre no Universo. Quando analiso o macro estou analisando a Instituição e de forma micro os indivíduos que a compõe.
Alguns especialistas deixam evidente em seus trabalhos o papel do líder na promoção da motivação! Mas nós temos líderes?
Acredito que ninguém pode liderar outras pessoas se não for líder de sí mesmo. O líder deve ser exemplo, deve ter domínio próprio, auto controle. Deve ter a capacidade de motivar, corrigir, supervisionar e arregimentar…TEMOS ISSO EM NOSSA INSTITUIÇÃO?
Segundo Patrick Lencioni, consultor e escritor americano, é incumbência do líder oferecer aos subordinados a energia necessária para a realização de suas tarefas e o cumprimento de seus objetivos. Infelizmente não há outra pessoa a quem se deva atribuir essa tarefa!
O primeiro passo de um líder, para combater a frustração gerada pelo fato de alguns funcionários se sentirem desprezados e ignorados, é conhecer cada um deles. Isso é possível em nossa Corporação?
Em segundo lugar, o líder deve valorizar o trabalho de cada pessoa dentro da Instituição, monstrando que a relevância passa pelo reconhecimento por parte da liderança. Isso ocorre na polícia?
Por fim, o líder deve se valer de medidas de avaliação de desempenho, o que abre novas perspectivas de crescimento profissional para as pessoas que trabalham na Instituição. Temos isso na Polícia Militar?
O autor de The Tree Signs of a Miserable Job (“Os três sinais de um trabalho miserável”) afirma que mesmo pessoas que são bem pagas e possuem atividades interessantes sofrem se não tiverem relações satisfatórias com os superiores.
Existem três características de um “trabalho miserável”:
ANONIMATO: Qualquer profissional fica frustrado quando percebe que o superior tem pouco interesse em suas tarefas e sua vida.
IRRELEVÂNCIA: Todos gostam de descobrir o impacto daquilo que fazem na vida de outras pessoas.
SEM MEDIDA: A incapacidade de avaliar o progresso do próprio trabalho é outra fonte e insatisfação.
Como formar líderes em uma Instituição tipicamente forjada para possuir apenas Chefes?
Como lidar com a impessoalidade pregada dentro da Instituição de maneira errônea durante tanto tempo?
Qual a função dos círculos hierárquicos nesse processo?
Questões para avaliarmos…
Existem algumas características especiais para que um líder demostre possuir o poder de motivar os outros:
ARGUMENTAÇÃO: Um líder motivador precisa ter argumentos. Para isso, é necessário que ele apresente uma bagagem de conhecimentos e de ações práticas. Por isso é tão importante que ele tenha passado por experiências próprias. Assim, esse líder conseguirá levar as pessoas que comanda a uma direção.
VER E OUVIR: Um líder motivador tem de saber ouvir e ter um olho clínico, que é a capacidade de diagnosticar os problemas. Além disso, o líder precisa saber escutar. Se não souber ouvir, ele não conseguirá enxergar os problemas das pessoas sob sua direção e terá dificuldade para motivá-las.
SABEDORIA: Para ser um líder motivador, você precisa ter poder de argumentação e habilidade para ouvir e detectar os problemas, mas é importante deixar claro que nem sempre é possível fazer. Às vezes, a pessoa que está na liderança é pega de surpresa. É quando, por exemplo, o melhor funcionário quer desistir de tudo ou, no mínimo, abandonar um projeto importante. Se o líder estiver despreparado e lhe faltarem argumentos, ele acaba aceitando a situação e se conformando com o problema. Por essa razão, nunca responda imediatamente, mas busque sempre uma palavra especial. Nesse caso, é importantíssimo demonstrar sabedoria. A liderança do futuro é aquela que tem a palavra certa para incentivar a equipe a lutar e nunca desistir. É importante demonstrar ao funcionário desmotivado que ele não está só e que é uma figura de grande importância no projeto da empresa ou da organização. E essa é uma tarefa que não cabe a mais ninguém, senão ao líder. É dele que se espera essa atitude!!
Espero que surjam novos líderes do futuro em nossa Instituição!

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -