- PUBLICIDADE -

Quem faz a diferença!

Ontem falei sobre liderança. Hoje queria falar sobre algumas lideranças, superiores hierarquicos, que fizeram a diferença em minha vida profissional. Tive a sorte de ter uma grande formação. Grandes comandantes e amigos. Já no curso de formação tive a oportunidade ser orientado PELO GRANDE SARGENTO LIMA, amigo que me ensinou muito sobre o que é ser policial e ser humano. Juntamente com esse grande homem havia o então CAP. Gilson, TEN VILELA e outros no CFAP.
Depois do CFAP, minha grande escola foi o Terceiro Batalhão…Agradeço muito ao Major Pontes, Major Luciano e ao TC Alexandre Jose (que hoje trabalha ao lado de minha sala na DP), naquela época era muito difícil estudar, mas sempre me deram muito apoio, não posso esquecer do Tenente Arlei e do Coronel Alberto, além dos meus amigos Ten Maximiliano, Tenente Pastrolin, Major Danilo Nunes e o atual Sargento Juarez, esses mais recente…
Depois no Proerd não posso esquecer a Sargento Ester, Capitão Karla, Tenente Lino Lopes, Tenente Renata e Tenente Márcio, além do grande mito Coronel Fonseca…
Na diretoria de Pessoal o TC Telir foi mais que líder e chefe, foi um pai, quando mais precisei, sem falar no Major Valverde, SGT Martins, Major Garcia e atualmente no Major Márcio…pessoas que me ajudaram e ajudam como poucos…
Esses foram chefes diretos, mas existem outros como o Coronel Guimarães, TC Reinaldo, SGT Fernando Lima, SGT Marcos Garcia e atualmente o Major Sant’Anna…é nele que eu gostaria de parar…
Esse “cara” é uma figura. Cada dia é um prazer entrar em seu blog e ver sua evolução enquanto blogueiro…
Ontem um blogueiro me fez chorar. O texto dele sobre o tenente desaparecido no Haiti, tocou no fundo do meu ser…
Citei alguns, mas são várias as pessoas que fazem a diferença, enquanto lideranças formais…
Poderia falar dos pares que me ensinaram e me ensinam a cada dia…
SOLDADOS EULER, PHELIPE, VALVERDE, VÂNIA, PATRICIA, CAROL, MARIZ, WISNER, MARCELO, MARCELO (MOD), REGILSON…
Se colocar os cabos a lista vai longe: Cb Adriano, Oliveira Filho, Josenildo, Rocha, Cosme (hj sgt)…
Para mim essas e outras pessoas fizeram a diferença em minha vida e fazem a diferença na polícia militar…
Tomei a liberdade e copiei o texto do Blog do Major…É impressionante ver a imprensa oficial divulgar apenas sobre os militares do Exército…
Tenente da PMDF ainda desaparecido no Haiti
Esperança…
Ainda não há qualquer notícia do Tenente PMDF Cleiton Batista Neiva, que esta a serviço da ONU no Haiti. Ele é um dos principais encarregados de segurança do país.
Eu mesmo busquei informações, mas nada foi divulgado até agora, obviamente em função das precaríssimas condições daquele país.
Falei com o Cleiton mês passado. Ficamos em torno de 01 hora ao telefone. Fiquei feliz com a nossa conversa. Ele estava muito entusiasmado com o seu retorno a Brasília, que se daria possivelmente esse mês. Falou da esposa e de sua satisfação em estar com ela. Falou também dos seus primeiros trabalhos em um período em que um furacão devastara parte do Haiti, época em que ele disse com bastante orgulho o que fizera, principalmente quando teve que pegar uma moto e percorrer as ruas com muita lama para conseguir realizar sua tarefa. Ele estava vibrando quando relatou o que tinha conseguido concluir.
Pra quem não o conheceu, é daqueles caras que te dão força o tempo inteiro. Otimismo, sempre. Tudo bem, sempre. Força e luz, sempre. É da turma dos que fazem falta quando não estão por perto. Ele tem um sorriso franco e cheio de solidariedade. Óculos de hastes finas e aparência intelectual.
Sinceramente me sinto um pouco culpado. Querendo ou não incentivei muitos desses jovens oficiais a seguir o caminho do orgulho de ser um Boina Azul. Afinal de contas, como policial militar, fui
Ainda há esperança…
um dos mais jovens – senão o mais jovem – a estar representando o Brasil fora do país. Com 26 anos patrulhava o interior de Angola. Em junho de 2007 tive minha primeira “experiência” ao quase me tornar vítima de um linchamento sem nem ter visto meu primeiro filho nascer. Escapei… Aos 35 anos, em maio de 2006, escapei de novo do evento que ficou conhecido como Massacre da Polícia Nacional do Timor Leste (procurem no youtube MASSACRE PNTL). à quela altura, a única pessoa com quem consegui me comunicar no Brasil foi o Então Subcomandante do BOPE-PMDF, o amigo Alexandre Sérgio Vicente Ferreira. Fiz um pedido apenas: “Se algo acontecer, tenham certeza de que vão olhar pelos meus filhos“. Eu falei com um policial militar digno. Eu tinha certeza de que meu pedido seria honrado.
Deus quis que nada acontecesse de novo. O motivo? Bom, um dia perguntarei a Ele.
Mas estar em uma Missão da ONU, para quem não sabe, não é tão romântico quanto fiz parecer a muitos jovens oficiais. Quando se está trabalhando para as Nações Unidas, você vê a fome, e não pode alimentar; vê a sede, e não tem como dar o de beber; vê a tristeza, e não tem como alegrar; as vezes vê a morte, e não tem como salvar. E isso frustra, dói e dura muito tempo. Tenham certeza disso.
É… Por mais doloroso que isso possa parecer para alguns e por mais dura que talvez seja a notícia, não se surpreendam com o pior. Estejam preparados para que nós não mais vejamos o moleque Cleiton. Ele pode sim estar naqueles escombros. Queiramos nós ou não aquele menino tem três qualidades que, nesse momento, podem nos fazer tê-lo apenas em nossas lembranças:
Ele prefere salvar a ser salvo;
O Cleiton é daqueles que acreditam no “mesmo com o sacrifício da própria vida” e, acima de tudo
Ele é brasileiro.
É isso.
Força, menino Cleiton.
Você faz falta.
Leonardo Sant’Anna

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -