- PUBLICIDADE -

Cabos e soldados na classe média…

Gostei da pesquisa que trata sobre a renda dos brasilienses. Nós cabos e soldados, se considerarmos nossos salários líquidos, estamos na faixa intermediária da classe média. Nossos amigos sargentos, oficiais, policiais civis e federais já ultrapassaram essa barreira. Precisamos avançar, reduzindo as diferenças “internas” e “externas” em nossa “micro-sociedade”. Em breve farei uma análise do cenário atual e das propostas “mirabolantes” que nos apresentam como solução de nossos problemas na caserna. É possível ganharmos um aumento acima de R$ 2.500,00 no cenário de crise mundial que nos é apresentado hoje? É possível criarmos tantas vagas de Tenente-coronel com tanta resistência dentro e fora da corporação, principalmente das Forças Armadas e com a discussão da PEC 300, que não tem mais esse número e nem mantém sua essência? Precisamos avançar em nosso debate. Continuaremos crianças “politicamente” ou entraremos para o mundo dos adultos?
A polícia somos nós, nossa força é nossa voz. Não vamos aceitar que nos calem!
Não podemos esquecer os princípios que nos trouxeram até aqui!
A polícia precisa mudar;
A polícia está mudando;
A polícia vai mudar.

DISTRITO FEDERAL
Grupo de classe média já reúne um milhão de brasilienses
Da redação em 09/08/2011 07:26:37
Um estudo da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República traçou um novo perfil da classe média brasileira, que já reúne 95 milhões de pessoas em todo o País e quase um milhão apenas no Distrito Federal. O potencial de consumo deste grupo é estimado em   R$ 1 trilhão por ano, valor equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) de Argentina, Portugal, Uruguai e Paraguai somados. Em termos percentuais, a classe média brasiliense corresponde a 46% da população total. São famílias com maioria jovem, com idade entre 25 e 64 anos (53%),  feminina (51%) e que se considera branca ou amarela (52%). A remuneração média varia entre R$ 1 mil e R$ 4 mil mensais. 
 
Para garantir que estas pessoas mantenham o padrão de consumo, o governo já pensa em criar um “super abono” para esta classe. Na prática, a exemplo do que foi feito com o Bolsa Família, a medida empacotará sob uma mesma marca benefícios que já são pagos aos trabalhadores de baixa renda, como o salário-família e o abono do PIS/Pasep. Para o governo, a medida será um estímulo à formalização do emprego. Informações do Jornal de Brasília.
Fonte: http://www.estacaodanoticia.com/index

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -