- PUBLICIDADE -

Notícia sobre nosso reajuste salarial! Quem vencerá essa batalha, a política dos trios elétricos ou a política dos bastidores?

Em ano eleitoral é sempre a mesma coisa! É preciso conduzir as “massas” as ruas para demonstrar poder de “mobilização”. Trios elétricos, gritos, palavras de ordem, greves, dentre tantos outros “incrementos de nossa politicagem ” POLÍTICA…
É interessante analisarmos esse cenário. Nossa ambição fala mais alto. Nos tornamos cegos, ovelhas sendo conduzidas ao matadouro, massa de manobra que vai sem saber para onde está indo. Somos atraídos por palavras bonitas, gritos entusiasmados e palavras comoventes.
Nesse contexto surgem os lobbystas, pessoas que utilizam de seu prestígio e contato com as autoridades para aprovar projetos nos bastidores. São verdadeiros dominadores da política. São eles que definem nosso futuro. Possuem um grande poder de influência na política nacional e local. Aprovam tudo aquilo que lhes interessa. São empresários, religiosos, representantes de grupos organizados com grande poder de influência, que descobriram que é mais fácil negociar nos bastidores do que conduzindo as massas. São interesseiros, pois visam apenas seus próprios interesses corporativos.
Grupos como esses estão a nossa frente uns quinze anos. Quando precisam usar “as massas” é apenas por algumas horas, pois já sabem que a vitória é garantida.
Os grupos atrasados, que estão na época da “revolução em cima de trios”, agem de forma diferente. Usam as massas para pressionar, muitas vezes sem objetivos claros, o que os leva a derrota ou a pequenas conquistas. Desgastam sua imagem e irritam seus seguidores.
Nesse campo de batalha, quem leva a melhor? A política dos trios elétricos ou a política dos bastidores?
Precisamos amadurecer POLITICAMENTE!
Não é hora de revermos acordos firmados, pois NÃO TEMOS TEMPO PARA ISSO!
A hora de questionarmos os acordos passou.
É HORA DE LUTARMOS NOS BASTIDORES PARA QUE ELES SEJAM CUMPRIDOS.
No passado perdemos uma gratificação de risco de vida em situação semelhante, para depois de dois anos recebermos praticamente aquilo que recusamos…É hora de aprendermos com nossos erros! Não é a melhor proposta, mas é melhor do que ficarmos mais um ano sem reajuste!!
Temos o real e o irreal. Prefiro encarar a realidade! O irreal ainda está muito longe…Temos até 03 de julho para atingirmos nosso objetivo!
NÃO É O AUMENTO QUE QUEREMOS OU MERECEMOS , MAS INFELIZMENTE É O QUE CONSEGUIREMOS NESSE CURTO PERÍODO!
Entenda o caso:
O governador do Distrito Federal, Rogério Rosso, recebeu nesta manhã (24/5), em sua residência no Lago Sul, o Fórum de Associações de entidades representativas dos servidores de segurança pública (CBMDF, PMDF e PCDF), para debater reajuste salarial das categorias.
Como associações representantes do CBMDF estavam ASSOFBM, Major Nilo e TC Kaiser, ASSOR, Cel Paulo José e ASBOM, SGT Geovani.
Além do Fórum, o secretário de segurança pública do DF, os comandantes-gerais da PMDF e CBMDF e o diretor geral da PCDF também participaram da reunião.
De acordo com o governador, a minuta da medida provisória que estava em negociação foi arquivada pelo fato de ter sido enviada por um governador interino, Wilson Lima.
Rosso ouviu todas as reivindicações das categorias e prometeu intervir junto a Presidência da República, à Casa Civil e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Segundo o governador, não existe nenhum impedimento para continuidade das negociações uma vez que os cálculos estão dentro da margem do Fundo Constitucional. “Me comprometo, ainda esta semana, a buscar saídas junto aos órgãos responsáveis”, declara.
Durante a reunião, o governador ligou para o Dr. Gilberto Carvalho, chefe de gabinete da Presidência, e solicitou audiência com o mesmo e com o MPOG para ratificar a medida provisória (negociada com Wilson Lima) e continuar as negociações do reajuste salarial.
Associação de praças solicita retificação dos percentuais de reajuste
Ainda durante a reunião, representas da ASPOL (Cabo Patrício) apresentaram propostas para que a medida provisória fosse retificada e as negociações recomeçassem. As propostas foram desaprovadas por todos os presentes, inclusive pelo governador.
Fonte: Associação de Oficiais dos Bombeiros

Aderivaldo Cardoso
Aderivaldo Cardosohttps://policiamentointeligente.com
Especialista em segurança pública e cidadania, pós graduado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -