- PUBLICIDADE -

Familiares são flagrados novamente em tentativa de repasse de droga para detentos

Três pessoas, sendo duas mulheres (mãe e irmã) e um homem (pai), foram flagrados, nessa sexta-feira (29), tentando repassar 659 papéis contendo substância análoga à droga sintética K4 para detentos da Casa de Prisão Provisória (CPP), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Os flagrantes ocorreram no momento em que os servidores penitenciários realizavam procedimentos de revistas nos mantimentos e materiais de limpeza (Cobal) deixados por familiares.

O primeiro flagrante ocorreu no início da tarde, quando uma senhora de 47 anos chegou ao local para deixar pães de forma que seriam repassados ao filho, que cumpre pena por tráfico de entorpecentes. Junto ao alimento foram encontrados 27 pedaços da droga.

A segunda e a terceira apreensões ocorreram de forma similar. Em um dos casos, um senhor de 43 anos pretendia repassar desinfetantes ao filho, preso desde agosto de 2021. Na tampa do material de limpeza havia 277 pedaços da droga sintética. O detento que receberia estes itens cumpre pena por homicídio.

No último caso, a irmã de um detento que cumpre pena por tráfico de drogas, tentou repassar 355 porções do entorpecente. A jovem de 26 anos usou a mesma técnica que o caso anterior – droga escondida em tampas de desinfetantes.

Em todos os casos, tanto os familiares quanto os presos destinatários dos materiais foram encaminhados à Central de Flagrantes da Polícia Civil, em Aparecida de Goiânia.

Procedimentos Administrativos internos foram abertos para aplicações das sanções disciplinares aos presos que receberiam a droga, conforme determina a Lei de Execução Penal.

A substância sintética K4 é conhecida como “droga turbinada”. Seu efeito alucinógeno é até 100 vezes maior do que a maconha convencional, possuindo grande poder viciante e destrutivo ao organismo. Na forma líquida, ela é borrifada em pedaços de papel na tentativa de burlar a vigilância dos policiais penais. É uma droga recente: as primeiras apreensões ocorreram ano passado no Brasil.

Sequência de casos
Pela terceira vez este mês, uma mãe foi presa tentando repassar ilícitos ao filho dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. No dia 28 de abril, quinta-feira, policiais penais da CPP interceptaram 13 pedaços de papel análogo à substância K4, escondidos em um rolo de papel higiênico deixado durante a entrega de alimentos e materiais aos detentos (Cobal).

A mulher de 48 anos e seu filho, de 27, foram encaminhados à Central de Flagrantes de Aparecida. O detento cumpre pena provisória com base no artigo 157 do Código Penal Brasileiro (roubo) e deve responder, junto com a mãe, por tráfico de drogas.

No dia 13 de abril, uma mulher de 44 anos foi presa em flagrante ao tentar repassar porções de substância análoga à maconha escondidas em pacotes de biscoitos, deixados durante entrega de alimentos na Penitenciária Odenir Guimarães (POG). A interceptação ocorreu no momento em que policiais penais realizavam revistas nos itens deixados pela mulher.

Polícia Penal do Estado de Goiás
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária
Comunicação Setorial

Fonte: SEAP GO
Redação
Redaçãohttps://policiamentointeligente.com
Portal Especializado em Segurança Pública e Política.
- PUBLICIDADE -

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -